Gestão Escolar
Postado em: 31/07/2020

Como reorganizar o calendário escolar 2020

Planejando a volta às aulas da sua escola, mas ainda tem dúvidas sobre como reorganizar o calendário escolar 2020? Então, veja as dicas que preparamos para te ajudar.

A reorganização do calendário escolar de 2020 tem sido motivo de preocupação para muitos gestores escolares. Em um cenário tão volátil e sem perspectivas concretas, como o que estamos presenciando, muitos têm receio de traçar planos que podem não ser aproveitados. Porém, planejar o máximo possível de detalhes da volta ainda é o melhor jeito de evitar transtorno.

Por isso, neste post, listamos dicas rápidas sobre como redefinir o cronograma da sua escola para o retorno das atividades presenciais. Este tema, aliás, já havia sido tratado brevemente em um texto publicado anteriormente, sobre planejamento de volta às aulas pós-pandemia. Desta vez, iremos aprofundá-lo um pouco mais. Confira!

Orientações do CNE

Antes de falarmos de calendário, é importante lembrar que o Conselho Nacional de Educação (CNE) já deliberou e aprovou junto ao Ministério da Educação (MEC) diretrizes que orientam sobre o retorno às aulas. O documento aconselha, por exemplo, que as escolas adotem ações de acolhimento e avaliações diagnósticas na volta das aulas presenciais.

Portanto, não deixe de conferir as resoluções do conselho na íntegra antes de tomar qualquer medida. No texto sobre planejamento do retorno às aulas, que citamos no início deste post, também falamos sobre algumas das orientações dadas pelo parecer.

Elabore cronograma de reposição

Embora a liberação das escolas para retomar as atividades regulares ainda não esteja definida, o primeiro passo para reorganizar o calendário 2020 é definir um cronograma de reposição. Se não for possível definir datas, tente ao menos estimar prazos para cada etapa do processo.

Dessa maneira, quando for a hora de abrir os portões novamente, sua equipe precisará apenas encaixar o planejamento nas datas disponíveis. Além disso, será mais simples se antecipar a possíveis mudanças de última hora, uma vez que terão uma visão macro do que precisa ser executado.

Faça testes de nivelamento

Se na sala de aula alguns alunos têm mais dificuldades do que outros, imagine neste cenário pelo qual estamos passando. Portanto, é fundamental organizar avaliações com base nos conteúdos passados no período de atividades remotas para apurar a defasagem, ou não, de cada estudante durante o isolamento social. E como já vimos, esta ação está entre as orientações do CNE para a retomada das aulas.

Outro ponto importante sobre avaliações diagnósticas é que elas também servirão para determinar a eficácia das atividades remotas. Este dado é muito importante para que a escola possa otimizar seus recursos de ensino a distância, que continuarão sendo importantes, mesmo depois do retorno das atividades.

Desenhe um plano de recuperação

Com base no diagnóstico fornecido pelos testes de nivelamento, trace um plano de recuperação para os alunos que apresentaram mais dificuldades. O objetivo deve ser elaborar ações, dentro da reorganização do calendário escolar 2020, que restabeleçam uma equiparação na turma.

Não deixe de aproveitar o material das atividades remotas, principalmente as videoaulas, para recuperar essa defasagem. E, se as normas de segurança possibilitarem, prepare um local e um período para atender os alunos com mais dificuldades.

Reveja o planejamento anual

Parece redundante falar em rever o planejamento anual neste texto, mas a ideia do tópico é analisar as atividades que estavam inicialmente previstas para o restante do ano, principalmente aquelas extraclasse, como festas e apresentações dos alunos.

Sabemos que são eventos aguardados, mas diante do momento, a priorização das atividades em detrimento de situações que causam aglomerações não deve causar muitos transtornos. Além disso, cada minuto será precioso na volta às aulas.

Para finalizar esta etapa, não se esqueça de considerar a ampliação da jornada escolar ou a utilização de sábados e feriados, conforme aconselhou o CNE. E não deixe de levar em conta como será feito o atendimento aos pais. As reuniões são ocasiões muito importantes no ano letivo, em especial neste momento em que os pais estarão muito apreensivos sobre como a escola vai agir e reorganizar seu calendário escolar 2020.

Estruture planos e estratégias de reposição

Sabendo as datas ou períodos em que as aulas serão realizadas, chegamos a parte final da redefinição do calendário letivo. Elabore um plano de aulas especificando como e quando cada conteúdo será recuperado. Nas atividades presenciais, priorize os temas indispensáveis para a sequência do ano letivo seguinte. Os assuntos secundários podem ser alocados em atividades complementares como:

  • projetos interdisciplinares;
  • atividades remotas;
  • pesquisas diversas;
  • trabalhos escolares;
  • entre outros.

Estruturando seu plano de acordo com esta estratégia, será muito mais fácil definir aspectos como os dias reservados para a reposição, a duração das aulas, o espaço físico onde acontecerão, além dos recursos que precisarão ficar à disposição.

Bem, deu para ver que é hora de arregaçar as mangas, pois temos muito trabalho a fazer. Se você quiser saber mais sobre o tema, confira (no vídeo abaixo) o webinar do SPE com Você sobre a reorganização do calendário escolar 2020.

Não deixe de conferir também o e-book Como vencer os desafios da Gestão Escolar em tempos de quarentena, que oferece dicas sobre como lidar com este período conturbado.

 

 

⟵ Voltar