Ensino
Postado em: 31/07/2020

Como vai ser o Novo Ensino Médio?

A proposta é tornar a escola interessante para o jovem, ensinando lições de cidadania e o que é necessário saber para resolver problemas e tomar boas decisões

As chances de você já ter ouvido falar sobre o Novo Ensino Médio são altas. Afinal, trata-se da maior mudança na educação brasileira dos últimos vinte anos. Mas, você sabe o que isso, de fato, significa? Hoje, vamos te ajudar a descobrir!

Em primeiro lugar: por que mudar?

O Novo Ensino Médio surpreendeu muita gente, mas não os especialistas em educação. Isso porque discussões sobre o tema vêm ocorrendo desde o início deste século. A diferença é que agora essa conversa tem amparo legal e, pela primeira vez, há o reconhecimento da importância de ouvir o jovem, respeitar sua identidade e considerar sua condição juvenil.

Há décadas, o modelo atual se mostra ineficiente para uma formação cidadã e os estudantes estão cada vez mais desinteressados por uma escola que, por si só, já é desinteressante. Por isso, é preciso repensar o Ensino Médio e seu formato bastante conteudista que não contribui como deveria para uma formação humana, cada vez mais necessária no mundo de hoje.

Quando vai acontecer?

Mudanças como a do Novo Ensino Médio vão acontecer aos poucos. A previsão é que todas as escolas implementem a proposta até 2022. Até lá, precisamos desenvolver uma visão mais ampla do que se espera de uma boa escola, que é um trabalho com desenvolvimento de projetos, e entender a importância dela na construção da identidade de nossos jovens e de suas escolhas.

Sabemos que é necessário preparar o jovem para profissões que ainda não existem e para usar tecnologias que não foram inventadas. Assim, desenvolver nele habilidades como criatividade e comunicação, para que seja capaz de lidar com desafios, e autoconhecimento, para que tome decisões assertivas, é essencial e o grande papel da escola.

Caso você tenha dúvidas sobre como será a implementação do Novo Ensino Médio na escola do seu filho, procure a instituição e pergunte como a mudança se dará e impactará os alunos. A escola deve clareza da formação dessa nova geração e da importância dela em nosso país e os pais precisam confiar no trabalho da escola.

Afinal, como será o Novo Ensino Médio?

O currículo do Novo Ensino Médio será composto por partes que se complementam: a Formação Geral Básica, que abrange as competências e habilidades previstas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e os Itinerários Formativos, que é onde a maior mudança acontece. Fica assim:

Formação Geral Básica

É a parte do Novo Ensino Médio comum a todos os jovens de escolas públicas e privadas.  São aprendizados obrigatórios, referenciados pela BNCC, que desenvolvem competências e habilidades e estão organizados em quatro áreas do conhecimento: Linguagem e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Ciências da Natureza e suas tecnologias e Ciências Sociais e Aplicadas.

– 60% do currículo, no máximo.

– Todos os jovens do Ensino Médio terão obrigatoriamente essa formação.

– Conhecimento que será cobrado no Enem.

Itinerários Formativos

São caminhos personalizados que aprofundam conhecimentos da Formação Geral Básica e oferecem maior conexão com os interesses e o cotidiano dos jovens. Os itinerários podem ser de três tipos: por área, integrado (com a reunião de duas ou mais áreas) e de formação técnica e profissional.

Cada escola ou sistema de ensino formatará os Itinerários Formativos do seu jeito. As instituições podem considerar atividades extracurriculares que já desenvolvem (aula de teatro e oficina de robótica, por exemplo) como unidades curriculares de seus itinerários formativos.

– 40% do currículo, no mínimo.

– É a parte flexível do currículo e cada escola ou sistema de ensino formatará do seu jeito.

– O estudante escolherá um ou mais itinerários, de acordo com seus interesses e com o que a escola disponibiliza.

Quer saber mais sobre o Novo Ensino Médio?

Confira a série de vídeos que preparamos com a coordenadora editorial de Ciências da Natureza do Sistema Positivo de Ensino, Milena Lima.

⟵ Voltar